O que são exames contrastados e para que eles servem?

Alguns tipos de exames radiológicos precisam ser realizados com meios de contraste para que determinadas estruturas anatômicas em análise sejam realçadas e permitam um diagnóstico mais preciso. São os chamados exames contrastados.

O tecido ósseo e as mamas, por exemplo, são facilmente visualizados nos exames de imagem. Porém, alguns órgãos têm como característica a mesma densidade em toda a sua estrutura, o que dificulta sua visualização sem uma substância de contraste. É o caso dos vasos sanguíneos, estômago, intestino, rins, entre outros.

Para você entender o que são os exames contrastados, bem como os tipos de contraste, preparamos este post. Acompanhe e tire todas as suas dúvidas sobre esses procedimentos!

Quais são os meios de contraste?

Os contrastes utilizados nos exames radiológicos são divididos em iodado e não iodado (sulfato de bário e gadolínio). Dependendo do tipo de substância e exame a ser realizado, esses meios podem ser administrados:

  • via oral;
  • parenteral;
  • endocavitária (por orifícios como uretra, reto, útero);
  • intracavitária (via parede da cavidade).

Veja abaixo os detalhes de cada meio de contraste:

Sulfato de bário

É o meio de contrate mais utilizado, principalmente para visualizar o sistema digestivo. É uma substância que pode estar em pó ou suspensão já pronta e, geralmente, é administrado via oral ou retal.

Iodo

A substância também é bastante utilizada em exames radiológicos. É indicada para visualização do sistema digestivo (administração via oral), além de artérias, útero e rins (administração via venosa).

Gadolínio

É um meio utilizado para melhor visualização de imagens na ressonância magnética. Auxilia no diagnóstico de lesões, infecções e tumores.

Quais são os tipos de exames contrastados?

Para que as imagens de estruturas anatômicas sejam obtidas com mais definição são realizados os exames contrastados. Existem vários tipos de procedimentos que precisam dos meios de contraste para uma melhor visualização de órgãos e tecidos. São eles:

  • angiografia: exame realizado com o contraste iodo para que se obtenha imagens mais definidas dos vasos sanguíneos;
  • cintilografia: procedimento que pode utilizar diferentes substâncias como contraste. É indicado para a detecção de alterações em órgãos, como o coração, pulmão, cérebro, entre outros;
  • colangiografia: utiliza o iodo como contraste e serve para avaliar as vias biliares;
  • ressonância magnética: exame que utiliza o contraste gadolínio e tem o objetivo de investigar lesões no cérebro, coluna vertebral, vasos sanguíneos e outras estruturas;
  • tomografia computadorizada: exame realizado, geralmente, com iodo. Indicada para investigar lesões, tumores e infecções em diferentes órgãos;
  • urografia: exame que também utiliza o contraste iodo e permite visualizar os rins e trato urinário.

Há riscos em fazer esses exames?

Muitos pacientes ficam assustados quando sabem que precisam de contraste para realizar um exame de imagem. Mas saiba que as reações a essas substâncias são, na maioria das vezes, leves.

É sempre importante, antes da aplicação do contraste, o indivíduo relatar se já teve algum quadro de alergia ou algo mais grave em exames anteriores.

Os exames contrastados facilitam o diagnóstico de uma série de doenças, visto que as imagens obtidas após a administração dessas substâncias são mais nítidas e detalhadas.

Quer ficar por dentro de outros assuntos sobre procedimentos médicos, saúde e bem-estar? Assine a nossa newsletter e tenha sempre em seu e-mail posts atualizados!

Grupo Infinita

Grupo Infinita

No blog da Infinita - Diagnóstico por Imagem você encontra os melhores conteúdos sobre saúde, qualidade de vida, exames, diagnósticos e prevenção de doenças.

Deixe um comentário

Share This