Conheça mais sobre a malária e saiba como evitar a doença

  • Home
  • Saúde
  • Conheça mais sobre a malária e saiba como evitar a doença

Por um longo tempo, os casos de malária haviam se estabilizado no Brasil e os números indicavam que a doença estava sob controle. No entanto, nos últimos anos, essa realidade mudou, e para pior. Os índices cresceram cerca de 50% no país, o que causa preocupação para muitos estados, em especial, da Região Norte, onde os índices são maiores.

Com o intuito de esclarecer melhor os seus sintomas, formas de prevenção e os melhores tratamentos para essa doença, preparamos este post com algumas informações muito importantes. Quer conferir? Então, continue a leitura!

Mas, de fato, o que é a malária? 

A malária é uma doença infecciosa que é transmitida pela fêmea do mosquito Anopheles. Ela se caracteriza pelo estado febril agudo e necessita de um tratamento urgente e eficiente, pois seu desenvolvimento no organismo é rápido, com chances de afetar o funcionamento de diversos órgãos e, inclusive, em alguns casos, levar a óbito. 

Uma das dificuldades de reconhecer seus sintomas está ligada ao fato do diagnóstico nem sempre ser feito precocemente porque a picada do mosquito tem um efeito muito lento sobre o corpo. Em alguns casos, os primeiros sinais podem surgir depois de 17 dias após o contato com o inseto. Para saber melhor sobre os sintomas, prevenção e tratamento, acompanhe os tópicos seguintes. 

Como a malária é transmitida para o ser humano? 

Como resumimos acima, o transmissor da malária é o mosquito fêmea Anopheles, infectado por protozoários do gênero Plasmodium. Esse protozoário é transmitido para o homem por meio da via sanguínea, pela picada o inseto. A transmissão também pode ser feita pelo compartilhamento de seringas, transfusão de sangue ou de mães para o feto durante a gravidez, porém, é muito raro acontecer dessa forma. 

Com isso, o mosquito passa a ser a principal fonte de risco para transmitir a malária. Em seguida, mostraremos como detectar os primeiros sintomas da doença no corpo e em quais lugares do Brasil a enfermidade é mais comum. Continue a leitura para conferir!

No Brasil, quais são as regiões mais afetadas pela malária? 

O mosquito procria e se torna mais resistente em regiões de densa floresta, como é o caso da Amazônia. No entanto, há riscos, ainda que menores, em outras áreas do país. Em 2016, o Brasil registrou cerca de 118 mil casos de pessoas infectadas. No ano seguinte, o número subiu para quase 175 mil. O estado mais afetado foi o Amazonas, seguido pelo Pará e pelo Acre.

Mesmo quem não mora nessas regiões, mas vai viajar para elas, por exemplo, deve se precaver e seguir algumas dicas de prevenção durante sua estadia nesses locais considerados zonas endêmicas ou de risco. Um pouco mais abaixo, você vai saber como fazer isso e também aprenderá a evitar as picadas do mosquito. Prossiga com a leitura!

Quais são os principais sintomas da malária? 

Os sintomas da malária mais comuns costumam demorar para aparecer, porém, são inconfundíveis. Por isso, em caso de qualquer suspeita, o recomendado é buscar uma consulta médica imediatamente e realizar os exames necessários. Saiba mais abaixo: 

  • calafrios; 
  • febre alta contínua e depois com intervalo de três dias; 
  • dores de cabeça; 
  • dor nos músculos; 
  • taquicardia; 
  • aumento do baço; 
  • delírios, em alguns casos. 

A lista acima retrata os sintomas mais frequentes da malária. No entanto, há situações específicas que podem provocar reações diferentes e mais intensas no corpo. É o caso da chamada malária cerebral, que oferece os maiores riscos de vida. Outros sinais que podem aparecer são: rigidez na nuca, desorientação, excitação ou sonolência, convulsões e vômitos. 

É possível prevenir a malária? 

Sim. Apesar de ainda não existir uma vacina preventiva contra a malária, algumas medidas individuais e coletivas podem ser eficientes na prevenção da doença. Por isso, nesse caso, a conscientização é a melhor arma de combate contra o mosquito. Vamos conferir o que pode ser feito na sua casa e na vizinhança? Observe: 

  • uso de mosquiteiros; 
  • uso de repelentes todo o dia; 
  • uso de roupas que protejam braços e pernas; 
  • aplicação de telas em portas e janelas de residências em áreas de risco;
  • drenagem das águas do bairro; 
  • eliminação de possíveis criadouros do mosquito; 
  • cuidado com a água parada em vasos de plantas, pneus e ralos. 

Qual o melhor tratamento para a malária? 

O Ministério da Saúde emitiu o Manual de Terapêutica da Malária, que serve como orientação para os tratamentos, de acordo com alguns aspectos importantes que precisam ser considerados antes de iniciar qualquer tratamento. São eles: 

  • a espécie do protozoário Plasmodium (microrganismo invisível que é transmitido pelo mosquito e gera a malária no corpo)
  • a gravidade da doença. 

Esses dois pontos são fundamentais para que o médico possa indicar o tratamento ideal, seja com a ingestão de remédios ou com o uso de drogas injetáveis de ações mais potentes, para reduzir os riscos de letalidade.

Quais as medicações utilizadas no combate à malária?

Há alguns tipos de medicamentos para combater a malária muito comuns. A Cloroquina, Primaquina, Artemeter e Lumefantrina, são alguns remédios que, geralmente, são indicados. Suas doses e recomendações devem ser passadas, obrigatoriamente, por um profissional de saúde. Crianças, bebês e gestantes precisam de atenção especial e tratamentos específicos. 

Além dos medicamentos, é altamente recomendado manter uma alimentação saudável, ingerir bastante líquido, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, repousar e jamais interromper o uso dos remédios sem a orientação médica. Todos esses passos são fundamentais para complementar e ajudar no tratamento da malária. 

Essas foram algumas dicas importantes sobre a malária. Infelizmente, a doença apresenta números cada vez maiores nos últimos anos e a melhor forma de prevenção é por meio da conscientização das pessoas que habitam as áreas de riscos e estão mais suscetíveis ao contato com o mosquito transmissor. Além dos cuidados individuais, é imprescindível realizar consultas médicas com frequência e fazer exames regularmente. Saúde é coisa séria! 

E aí, gostou do post? Todas as informações sobre a malária foram úteis para você? Quer se manter mais informado de outros assuntos e dicas para manter em dia sua saúde e seu bem-estar? Então, siga nossa página no Facebook para sempre acompanhar as nossas publicações!

Grupo Infinita

Grupo Infinita

No blog da Infinita - Diagnóstico por Imagem você encontra os melhores conteúdos sobre saúde, qualidade de vida, exames, diagnósticos e prevenção de doenças.

Deixe um comentário

Share This