Conheça 8 benefícios e cuidados de uma gravidez na maturidade

  • Home
  • Saúde
  • Conheça 8 benefícios e cuidados de uma gravidez na maturidade

Você estudou muito, viajou, tem um emprego estável e agora, depois de ter aquela sensação de missão cumprida, sente que está pronta para ser mãe. Mas com a concretização de tantos sonhos e projetos, não se deu conta de que o tempo foi passando e que agora não possui mais 20 anos. O que fazer? Será que uma gravidez na maturidade pode ser tranquila?

Calma! O sonho de ser mãe não acaba com a idade. Hoje, é natural que as mulheres priorizem a estabilidade financeira e até mesmo no relacionamento para então decidirem ser mães. As estatísticas confirmam essa tendência. Em 2015, de acordo com o IBGE, o percentual de mulheres que engravidaram após os 40 anos nas regiões Sul e Sudeste do Brasil chegou a 30%.

Porém, nem sempre uma gravidez na maturidade é um desejo, pode ser resultado de um descuido e vir como uma grande surpresa. Mas, seja surpresa ou não, esse é um momento muito especial, de amor, ansiedade, medo e muita emoção. Se você já tem 40 anos ou mais e quer engravidar, ou já está grávida, listamos a seguir oito benefícios e cuidados que você deve ter durante essa fase. Confira! 

1. Maturidade

Seja profissional ou emocionalmente, uma mulher com mais de 35 ou 40 anos já não tem as mesmas dúvidas e ansiedades que uma de 20. Seus aprendizados proporcionam um amadurecimento e acúmulo de experiências que contribuem para o seu desenvolvimento em diversos sentidos. Ela já está mais segura de suas opiniões e decisões, e sabe o que lhe faz bem.

Além disso, está disposta a desempenhar essa nova função e se prepara para isso. Ela também está mais preparada emocionalmente. Geralmente é mais paciente e cautelosa, qualidades que lhe ajudarão muito com o bebê.

2. Desejo e planejamento

Ao adiar o sonho de ser mãe, as mulheres fortalecem ainda mais esse desejo e aproveitam o tempo de espera para o planejamento. Ela tem a consciência de que uma gravidez na maturidade também pode não acontecer, o que instiga ainda mais a sua vontade e a ansiedade, mas concentra suas forças naquilo que poderá ajudá-la a realizar esse sonho. Geralmente a mudança de hábitos alimentares e a realização de exercícios começam a fazer parte do dia a dia. O cuidado com a saúde passa a ser redobrado. 

Ela também se prepara para questões de logística, como onde será e o que vai ter no quarto do bebê, como vai fazer quando ele nascer, quanto tempo se dedicará exclusivamente a ele, se vai voltar a trabalhar, com quem ele vai ficar (escola ou babá), entre tantas outras decisões. Ela pensa em quase tudo.

3. Estabilidade financeira

Um dos fatores mais determinantes para a decisão de uma gravidez tardia é a busca pela estabilidade financeira. Não há como negar, ter um filho muda consideravelmente a vida financeira de uma família. E os gastos acompanham o crescimento do bebê: fraldas, leites específicos, médicos, remédios, depois escola, cursos, passeios, brinquedos, estudo, entre outros.

Por isso, muitas mulheres preferem garantir a estabilidade financeira antes de embarcar na experiência de uma gravidez. Desta forma, ela se sente mais segura para garantir ao menos o atendimento às necessidades básicas do filho.

4. Relacionamento

Na maioria dos casos, a mulher mais madura possui um relacionamento estável. Portanto, ela divide com o companheiro o desejo de ser mãe e ele assume um papel muito importante nesse processo. Ter com quem compartilhar todos os momentos, que vão da tentativa de engravidar até a preparação e espera, é muito importante e traz mais conforto e tranquilidade para a mãe. Sua autoestima fica elevada e o sentimento de realização a faz ainda mais feliz.

Porém, é importante ter a consciência de que a gravidez na maturidade exige sim mais cuidados. Com o avanço da idade, a mulher vai perdendo a quantidade de óvulos que possui, e os que resistem, vão envelhecendo e sofrem com interferências como poluição, medicações, radiação e ambiente. Além disso, exames para detectar possíveis problemas ginecológicos podem ser necessários. 

Diferente do homem, que produz espermatozoides durante quase toda a vida, a mulher possui um estoque de óvulos que vai diminuindo com o tempo. Aos 40 anos ela não vai mais ter a mesma quantidade que tinha aos 20 anos. Da mesma forma, o corpo também já não é mais o mesmo, e os cuidados com a saúde devem ser redobrados.

Em uma gravidez na maturidade, os riscos de partos prematuros ou até mesmo de abortos, malformações e cromossomopatias (alterações dos cromossomos) são maiores. Por isso, um acompanhamento médico detalhado e a realização de exames mais específicos, antes da gravidez e durante o pré-natal, são imprescindíveis.

5. Alimentação

Cuidar da alimentação deve ser um dos primeiros passos a serem dados. Quando o corpo funciona bem e tem boas fontes de energia e vitaminas, ele trabalha melhor e não apresenta problemas. Prefira alimentos naturais e evite os industrializados, repletos de conservantes, açúcares e gordura. Priorize frutas, verduras e legumes e beba muita água.

Alimente-se com frequência, geralmente de três em três horas. Isso vai evitar que você tenha períodos de muita fome, que são os grandes vilões da balança e de uma dieta equilibrada. Lembre-se: tudo o que você come contribui para o desenvolvimento do bebê, que precisará de nutrientes para crescer forte e saudável.

6. Atividade física e mental

Movimentar o corpo vai fazê-la se sentir melhor, mais disposta e animada. Quando a gravidez na maturidade já for uma realidade, a realização de exercícios deve ser feita com cautela e, de preferência, após o terceiro mês de gestação. Contar com o acompanhamento de um profissional pode ser uma boa solução. Ele vai orientá-la sobre quais exercícios são mais indicados para cada período da gestação. A prática de atividade física vai melhorar o seu bem-estar.

O alongamento, aliado a exercícios de relaxamento, ajuda a evitar dores nas costas e nas pernas, as mais comuns nessa fase. Outra boa opção é a hidroginástica, que ajuda a fortalecer o músculo do abdômen. Mas esse é um exercício que requer liberação médica.

Tão importante quanto a atividade física é a mental. Manter a mente relaxada, livre do estresse e da ansiedade é muito bom. Leia, passeie, estude, faça tudo o que possa tornar o momento ainda mais especial. 

7. Prevenção

Um dos mais preocupantes fatores de risco de uma gravidez na maturidade é o aumento da pressão ou pré-eclampsia, que pode causar muitos problemas para a mãe e o bebê. Cuidar da alimentação e praticar atividade física já vão lhe proporcionar um grande avanço na prevenção desse e de outros fatores de risco.

Se você já apresenta um quadro de hipertensão antes da gestação, é muito importante que todos os cuidados sejam tomados, se possível antes mesmo de engravidar ou logo no início da gestação. Controlar o ganho de peso será primordial.

8. Acompanhamento médico

Por oferecer mais riscos para a mãe e o bebê, uma gravidez na maturidade exige mais atenção e cuidados. Nesses casos, o acompanhamento médico deve ser mais detalhado e frequente, de preferência realizado por um profissional com experiência em acompanhar gestações desse tipo. 

A realização de exames de qualidade em empresas especializadas também é essencial. São eles que vão guiar os médicos na realização dos melhores procedimentos para que tudo ocorra bem durante a gravidez.

Seja planejada ou não, natural, por inseminação artificial ou fertilização in vitro, a gravidez na maturidade é um momento especial para toda a família. Desfrute de todos os benefícios que ela proporciona. Esteja atenta a todos os cuidados necessários para o bom funcionamento do corpo e da mente e aproveite todos os momentos. 

Gostou da matéria? Já vivenciou ou quer vivenciar uma gravidez na maturidade e tem dúvidas ou quer dividir uma experiência? Conte pra nós, deixe aqui o seu comentário.

Grupo Infinita

Grupo Infinita

No blog da Infinita - Diagnóstico por Imagem você encontra os melhores conteúdos sobre saúde, qualidade de vida, exames, diagnósticos e prevenção de doenças.

Deixe um comentário

Share This